Na cultura ocidental, o rosto está exposto em todos momentos. Em cidades litorâneas a preocupação com o contorno corporal está mais em evidência, porém o rosto continua sendo o cartão de visita de cada indivíduo. Alguns aspectos trazem desequilíbrio à harmonia facial e nem sempre são bem identificados pelo paciente e algumas vezes pelo cirurgião que não está habituado a examinar a face em três zonas.

Durante a consulta o Cirurgião deve ouvir atentamente as queixas dos pacientes. O exame global da face é indispensável, mesmo que a queixa seja específica em uma região isolada. O contorno do rosto é dependente do contorno ósseo, quantidade e modelagem da gordura, da musculatura e seu tônus e qualidade da pele. Muitas vezes a queixa é de um olhar cansado mas o paciente não consegue identificar que a causa é uma sobrancelha ptosada (caída).

A posição do supercílio (sobrancelha) deve ser avaliada conjuntamente com a pálpebra e a testa. Rugas na testa e altura da linha do cabelo são dados importantes no exame clínico. Assimetrias devem ser identificadas nesse momento para que a melhor conduta cirúrgica seja proposta.

O cirurgião plástico deve estar habituado com as principais técnicas de suspensão de supercílio e lifting frontal (testa). A escolha deve ser feita baseando-se na individualidade de cada paciente, levando em consideração as cirurgias associadas.

A suspensão de supercílios endoscópica é uma técnica moderna, que permite o tratamento dos músculos causadores das rugas, com reposicionamento efetivo das sobrancelhas através de pequenos cortes, escondidos no cabelo. Possui limitação nos casos de grande flacidez de pele e rugas muito profundas.

A ritidoplastia frontal clássica (lifting) é a técnica de escolha para paciente com rugas muito profundas na testa, e posição do supercílio moderadamente ou intensamente abaixo do esperado. A cicatriz é mais longa, e pode ficar na linha do cabelo ou escondida. Essa técnica é reservada para casos específicos devido a uma cicatriz mais extensa.

A suspensão lateral de supercílios possui excelente indicação quando a blefarolplastia é associada e a posição do supercílio é apenas um pouco abaixo do esperado mais lateralmente. Essa técnica apresenta excelentes resultados quando bem indicada e é a de escolha na maioria dos pacientes. Sua limitação ocorre quando a ptose(queda) do supercílio acontece também medialmente. Nesses casos pode-se associar o tratamento dos músculos responsáveis pela ptose através da incisão da pálpebra superior com ótimos resultados. A cicatriz resultante é pequena e fica escondida no cabelo.

WhatsApp chat