• Beleza
  • Por Ítalo Bessa
  • 8 de janeiro de 2019
  • 366
  • 0

O cirurgião plástico Dr. Victor Pochat esclarece as principais dúvidas sobre cirurgias plásticas, pré-operatório e eficácia do procedimento.

 

A cirurgia plástica possui uma história muito antiga (descrições desde 600 a.c.). A partir do início do século XX, a especialidade cresceu muito na cirurgia reconstrutiva e, posteriormente, na cirurgia estética. Atualmente, são necessários pelo menos cinco anos de treinamento para se tornar um cirurgião plástico. O cirurgião plástico precisa ter conhecimento das áreas básicas como queimaduras, cirurgia de mão, craniofacial, microcirurgia e cirurgia órbito-palpebral. Esse conhecimento permite que o cirurgião atue com segurança e possa tratar o paciente integralmente (por exemplo: uma queimadura que deforma as pálpebras, nariz, lábio e braço).

No Brasil, por se tratar de um país tropical, as cirurgias de contorno corporal como lipoaspiração e a mamaplastia (seja para redução, suspensão ou aumento) são as mais procuradas. Na face, a cirurgia mais realizada é a rinoplastia. Por se tratar de um órgão central da face, o nariz tem implicação na harmonia e equilíbrio faciais, e a cirurgia auxilia na melhora da autoestima. São muitas as dúvidas e questionamentos dos pacientes sobre a realização de cirurgias plásticas. Por isso, apresentamos aqui alguns mitos e verdades, com o intuito de esclarecer alguns dos principais temas.

1- Qualquer pessoa pode ser submetida a cirurgias plásticas.

Dr. Victor Pochat – Mito! Em primeiro lugar, deve existir uma indicação precisa para que uma pessoa se submeta a uma cirurgia plástica, afinal, trata-se de um procedimento cirúrgico. Além disso, é necessário que o paciente goze de boa saúde, reduzindo assim o risco de complicações.

2- Apenas cirurgiões plásticos estão habilitados a realizar cirurgias plásticas.

Dr. Victor Pochat – Mito! A medicina possui várias ramificações e, quando o médico se forma, pode atuar nessas diversas ramificações. O melhor caminho para evitar imperícia é se especializar em uma área (como cirurgia plástica) antes de iniciar a prática. Com isso, o cirurgião adquire o preparo adequado para conduzir da melhor forma seus pacientes, bem como aprende a lidar com as adversidades. Embora os médicos não especialistas possam realizar cirurgias plásticas, sem o treinamento necessário (cinco anos), as chances de insucessos e imperícia são muito grandes.

3- O inverno é a melhor época para a realização de uma cirurgia plástica.

Dr. Victor Pochat – Mito! Não existe nenhuma comprovação científica que demonstre que o frio ou alguma época do ano seja favorável aos resultados de uma cirurgia plástica. Entretanto, temperaturas mais amenas podem tornar o pós-operatório mais confortável para muitos pacientes. 

4- É preciso evitar exposição solar após qualquer cirurgia plástica.

Dr. Victor Pochat – Verdade! A exposição solar no pós-operatório precoce pode levar a manchas no corpo ou no rosto que podem permanecer durante meses. Mesmo após o desaparecimento das equimoses (manchas roxas), a exposição solar aumenta o inchaço do rosto, nariz e do corpo, podendo causar desconfortos e prolongar o tempo de recuperação.

5- É preciso emagrecer antes de modificar o contorno corporal com cirurgia plástica.

Dr. Victor Pochat – Mito! O indivíduo interessado em realizar uma cirurgia do contorno corporal ou de rejuvenescimento facial deve estar preferencialmente em seu peso ideal ou próximo dele. Nesses casos, não existe necessidade de emagrecer antes do procedimento. Algumas pessoas que estão um pouco acima do peso devem definir com o cirurgião se há a intenção de perder peso, pois em casos de plástica mamária, por exemplo, uma perda ponderal de mais de 5 kg após a cirurgia pode gerar uma perda parcial dos resultados obtidos (flacidez residual). Por outro lado, se uma paciente engorda 5kg após uma cirurgia de lipoaspiração, com certeza seu resultado irá ser comprometido.

“O indivíduo interessado em realizar uma cirurgia do contorno corporal ou de rejuvenescimento facial deve estar preferencialmente em seu peso ideal ou próximo dele. Nesses casos, não existe necessidade de emagrecer antes do procedimento”.

6- Próteses de silicone impedem a amamentação.
Dr. Victor Pochat – Mito! As próteses de silicone são colocadas abaixo da glândula ou abaixo do músculo peitoral maior. A cirurgia através de um corte no sulco da mama (inframamária) ou na axila permite que essa colocação seja feita sem lesão dos ductos mamários, ou seja, não interferindo na amamentação. Mulheres que planejam ter filhos e, assim amamentar, devem discutir isso com seu cirurgião plástico, pois a prótese colocada através de uma incisão periareolar (meia lua na aréola) pode, eventualmente, comprometer em algum grau a amamentação por lesão de alguns ductos durante a dissecção.

7- Cirurgia plástica remove cicatrizes resultantes de acidentes ou de outras operações.

Dr. Victor Pochat – Mito! A cirurgia plástica reparadora possibilita que o médico restaure a função de pacientes com sequela de acidentes e queimaduras, melhore a aparência e reabilite a função da boca e fonação em crianças fissuradas, entre muitas outras coisas. Entretanto, não é possível fazer com que cicatrizes desapareçam. A habilidade do cirurgião plástico está em melhorar o seu aspecto, muitas vezes mudando-as de posição; disfarçar a cicatriz através da psicologia da percepção e, tentar esconder as cicatrizes, colocando-as em áreas menos visíveis. 

8- Quem vai se submeter a uma cirurgia plástica não deve fumar.
Dr. Victor Pochat – Verdade! O tabagismo interfere na microcirculação de uma maneira muito intensa. Como em muitas cirurgias plásticas existe uma necessidade de descolamento da pele, a chance de ocorrer eventos isquêmicos (necrose) é muito maior nos pacientes tabagistas. Interromper o fumo antes de uma cirurgia plástica proporcionará segurança, saúde e um resultado estético mais agradável e previsível.

9- Cirurgia nas pálpebras compromete a visão.

Dr. Victor Pochat – Mito! A cirurgia plástica palpebral não aborda o globo ocular e, com isso não leva a comprometimento da visão. Pelo contrário, pode melhorar o campo visual na cirurgia da ptose pálpebra, corrigir a flacidez das estruturas (ectrópio) e, com isso, melhorar o lacrimejamento excessivo e prevenir exposição da córnea, entre outras situações.

10- A plástica no nariz pode causar problemas de respiração.

Dr. Victor Pochat – Verdade! A rinoplastia (plástica do nariz) envolve modificações externas e internas. Quando a cirurgia é realizada de forma a reduzir o nariz (seja no comprimento ou altura), através de remoções excessivas de cartilagens e osso associadas a fraturas nasais, um comprometimento da respiração pode ser ocasionado no curto ou longo prazo. Para evitar isso, o cirurgião plástico deve realizar uma rinoplastia com abordagem estruturada (através de uso de enxertos que fortalecerão o esqueleto remanescente do nariz) e conservadora (através de remoção menos agressiva das cartilagens e ossos). Dessa forma, é possível, inclusive, melhorar a respiração de uma parcela dos pacientes.

11- A lipoaspiração é uma cirurgia mais perigosa que as outras plásticas.

Dr. Victor Pochat – Mito! A lipoaspiração é um procedimento bastante seguro, com baixas taxas de complicações, quando comparados a outros procedimentos (mama, abdome). Para isso, é importante que seja realizada por um profissional bem treinado (cirurgião plástico com título de especialista pela SBCP) e em um hospital ou clínica que disponha do suporte adequado. O conhecimento da anatomia e de todas as camadas e estruturas superficiais e profundas (o cirurgião plástico tem formação de cirurgia geral também) permite que a cirurgia seja realizada com a máxima segurança, sempre respeitando os limites de volume a ser lipoaspirado e também a área corporal abordada.

Fazer Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WhatsApp chat